O novo documentário da Netflix, Operation Varsity Blues: The College Admissions Scandal, usa transcrições precisas do FBI para suas reconstituições de conversas entre o corretor de admissões escolares, William Rick Singer (realizado por Matthew Modine), e seus muitos compradores de elite. Mas o diretor Chris Smith deixou intencionalmente as gravações dos rostos mais conhecidos do escândalo - Felicity Huffman e Lori Loughlin - do filme concluído, que mistura recriações dramáticas com informações e novas entrevistas com algumas das pessoas exatamente envolvidas no caso .Nós nos concentramos nas transcrições que forneceram essencialmente a maior parte da história, o cineasta disse ao Yahoo Entertainment sobre aquela resolução provavelmente controversa. Além disso, a história de Felicity e Lori já havia sido amplamente divulgada na mídia, então, ao fazer um documentário sobre o material que as pessoas presumem que já sabem, ficamos entusiasmados em tentar informar pontos e componentes da história que as pessoas podem não estar Como familiarizado em. Certamente, as duas atrizes foram a entrada e o coração na proteção da mídia da Operação Varsity Blues, a segunda notícia da investigação de vários anos do FBI que atingiu as manchetes em 2019. Como o filme de Smith revelou, o caso foi feito sob medida para o fascínio do público , assim, muitos desses carregados existiam no corte transversal de riqueza e fama. Huffman e Loughlin tinham perfis significativamente excessivos devido às suas passagens memoráveis ​​em Desperate Housewives e Full House, respectivamente. Lori Loughlin e seu marido Mossimo Giannulli, propriamente dito, vão embora do Tribunal de Justiça dos Estados Unidos John Joseph Moakley em Boston em 27 de agosto de 2019. ( Foto: John Tlumacki / The Boston Globe por Getty Images) Estas são duas figuras públicas de que os indivíduos estão conscientes, para que tenham ficado fascinados ao seguir sua história, versus muitos pais e mães menos conhecidos, observa Smith, incluindo que a riqueza das filmagens de cada atriz o convenceu de que não era essencial reformulá-las para as encenações. Eles estiveram em uma grande quantidade de mídia, eu realmente não achei que preferisse que fosse aditivo. O fato indiscutível de que a mídia e o público em geral se concentraram em Huffman e Loughlin - normalmente com a exclusão de seus respectivos maridos, William H Macy e Mossimo Giannulli, que também aparecem nas transcrições - sugere uma divisão de gênero gritante na proteção do caso. Macy finalmente não foi acusado de seu suposto envolvimento, enquanto Huffman se declarou responsável e obteve uma sentença de prisão de duas semanas, além de $ 30.000 maravilhosos e 250 horas de serviço de bairro. Loughlin e Giannulli foram responsabilizados e foram condenados a 2 meses e 5 meses de prisão, respectivamente. Smith se recusa a mencionar se acha ou não que a proteção foi indevidamente centrada nas 2 atrizes. Eu acredito que eles foram as celebridades de maior destaque. Além disso, não estou totalmente atualizado sobre o motivo pelo qual [Huffman] foi acusado e foi para a prisão e [Macy] não. Meu autor [Jon Karmen] pode estar mais preparado para responder isso. A história continua. Mesmo que eles fossem celebridades, Smith tentou pensar em Huffman e Loughlin como mãe e pai primeiro. E como toda a mãe e o pai enredados no caso, eles se mostraram extremamente vulneráveis ​​às estratégias de persuasão de Singer. Estamos em todos os momentos em busca do aspecto humano de qualquer história e tentamos mostrar algumas das técnicas que Rick usaria para trazer esses pais a bordo. Há alguns casos em que ele diz à mãe e ao pai que seus filhos não têm probabilidade de entrar na faculdade de que precisam, e essas questões claramente teriam um impacto e podem influenciar sua resolução para possivelmente chegar a uma resolução insatisfatória. Obviamente, em retrospectiva, muitos se arrependem desse telefonema, no entanto, acredito que na época eles provavelmente pensaram que estavam fazendo o que era melhor para seus filhos. Felicity Huffman e William H. Macy, saem do John Joseph Moakley Estados Unidos Tribunal de Justiça em Boston em 13 de setembro de 2019. (Foto: Nic Antaya para The Boston Globe por Getty Images) No caso de Loughlin e Giannulli, o documentário menciona claramente que nenhum dos dois foi à escola, o que pode ter sido um motivo de motivação para eles querem ver suas filhas - Olivia Jade e Isabella Rose - admitidas na USC. Parece que isso significa o que descobrimos, diz Smith. Você pode encontrar pessoas que possivelmente não frequentaram a escola e que desejam oferecer essa oportunidade para seus filhos. Curiosamente, o filme também traz filmagens de Olivia Jade discutindo sua falta de curiosidade em buscar uma maior escolaridade, em grande parte devido ao seu sucesso como estrela do YouTube e influenciadora de mídia social, que tinha relacionamentos com fabricantes como a Sephora. Pensamos que era um elemento que era negligenciado: aqui você tinha alguém que era muito lucrativo e bastante bom no que fazia, explica Smith. Ela não queria ir para a escola e sua mãe e seu pai estavam tentando convencê-la a ir - pense sobre como essas conversas podem ser em casa. Você pode precisar de um pouco mais de empatia para que ela perceba qual foi seu caminho, quais foram suas alternativas e do que ela estava se afastando. Estávamos tentando colorir um retrato pouco complicado de todo o panorama em vez de retratá-lo com um pincel. Lori Loughlin, Olivia Jade Giannulli e Isabella Rose Giannulli se alegram com a colaboração da paleta da coleção Olivia Jade x Sephora em 14 de dezembro de 2018 em West Hollywood, Califórnia. (Foto: Gabriel Olsen / Getty Images for Sephora Collection) Na esteira do escândalo, Olivia Jade perdeu dezenas de milhões de seguidores de mídia social, além de sua parceria com a Sephora. De acordo com as avaliações, ela e sua irmã também não estão matriculadas na USC. Estamos em certa medida no passado histórico onde qualquer senso de controvérsia torna as pessoas muito avessas ao risco, Smith diz sobre as consequências pessoais que ela teve como resultado das ações de sua mãe e seu pai. Não me choca, no entanto, não me sinto absolutamente certificada para avaliar se isso foi ou não correto ou incorreto. Espero que o filme revele que, em muitos casos, as crianças não sabiam o que estava acontecendo, então você espera que as pessoas entendam melhor que não têm nada a ver com o esquema preciso. O diretor afirma que ele estendeu a mão para Olivia Jade - além de sua mãe e pai, e Huffman e Macy - para informar seu aspecto da história para o filme. Entramos em contato com todos os interessados ​​na história de que poderíamos, juntamente com suas ilustrações autorizadas ou, em alguns casos, representantes especializados. Muitas vezes, podemos obter uma recusa ou nenhuma resposta, no entanto, em alguns casos, as pessoas diriam que desejam participar, no entanto, estavam ansiosos para que isso tivesse um impacto hostil em sua sentença e, por isso, não se sentiu confortável em fazer uma entrevista .O ex-treinador da Universidade de Stanford, John Vandemoer, concordou em ser entrevistado para a Operação Varsity Blues. (Foto: Netflix) Smith persuadiu com eficiência o ex-treinador da Universidade de Stanford, John Vandemoer - que foi o principal indivíduo a ser condenado no caso - a aparecer na câmera digital. Acusado de conspiração para cometer extorsão, Vandemoer declarou-se responsável e evitou a sentença de prisão em favor de seis meses de prisão domiciliar e US $ 10.000 maravilhosos. A escolha que presidiu seu caso o considerou o menos culpado entre os acusados, e ele mantém sua ignorância do esquema de Singer dentro do filme e significa que se sentiu pressionado por Stanford a levantar fundos para seu programa. para ver como alguém que simplesmente precisava ser um treinador de crusing tinha a expectativa de se tornar um arrecadador de fundos, diz Smith. Eu acredito que você pode perceber os desafios aí. O único fator que posso dizer após a assembléia John e seu caso é que não presumo que ele teria se envolvido em exercícios ilícitos se não fosse solicitado. Ele não me parece ter tendências puras para ser um crime. Acredito que ele, sem dúvida, se sentiu como alguém que foi apresentado ao mundo de Rick e se tornou a celebração de suas ações. Quanto à pessoa no centro da história, Singer é simplesmente visto na tela na Operação Varsity Blues em análises de informações ou como retratado por Modine. Se houvesse alguém com quem poderíamos ter conversado, seria 100% ele, comenta Smith. Mas o afeto de Singer é profundamente sentido na maneira como o filme apresenta um sistema de admissão na universidade que, no início, parece danificado após a restauração. Smith empurra novamente em direção a esse ponto de vista, embora. Eu não diria que o próprio Rick Singer é um sinal de que o sistema está danificado. Ele era um estranho, e posso supor que qualquer outra pessoa que trabalhe em um espaço cinza como aquele está provavelmente tendo um tempo mais durável para reter compradores agora. William ‘Rick’ Singer, conforme visto em imagens de informação apresentadas na Operação Varsity Blues. (Foto: Netflix) Por outro lado, o caso de Singer expõe o buraco de riqueza que existe no diploma universitário, uma vez que famílias com privilégios extras têm acesso a ativos que podem estar tipicamente fora de alcance para candidatos com dificuldades econômicas. Sem dúvida, parece um sistema de duas camadas, concorda Smith. Conversamos com consultores instrucionais imparciais, e eles mencionaram que é caro ter seu tipo de assistência privada. Alguns deles até mencionaram que ficariam completamente felizes se seu empreendimento fosse eviscerado; eles realmente se sentiram em conflito com isso, e queriam que não fosse isso. É um sistema que deve ser revisado ou remodelado. Operation Varsity Blues: The College Admissions Scandal está no momento transmitido pela Netflix.
Este artigo foi impresso pela primeira vez em local na rede Internet