Novo documentário real do Hulu Charles e Diana: 1983 não poderia ter estreado em um momento extra intrigante. Noite final, o Netflix's A coroa A quarta temporada varreu o Globo de Ouro e neste domingo, o Príncipe Harry e sua esposa, Meghan Markle, irão se sentar em uma entrevista com Oprah Winfrey. É uma semana enorme para reavaliar os primeiros dias do casamento fraturado do príncipe Charles e da princesa Diana, e do Hulu Charles e Diana: 1983 faz simplesmente isso. Combinando entrevistas com especialistas e um tesouro de filmagens da Royal Tour of Australia do casal em 1983, ele furtivamente oferece um olhar mais nuançado sobre o casamento conhecido. Ou seja, caso você consiga pegá-lo.

Charles e Diana: 1983 não apenas revela o quão perto da realidade o programa de ficção A coroa adquirido na temporada 4, mas certamente revela adicionalmente a maneira pela qual a realeza britânica está presa pela percepção pública deles. É uma visão fascinante, especialmente em uma semana, o lugar o mundo está pronto com a respiração suspensa para descobrir o que exatamente o príncipe Harry e Meghan, a duquesa de Sussex vão revelar sobre sua reunião de duas horas com Oprah Winfrey.

Charles e Diana: 1983 é um novo documentário de 48 minutos explorando a aparentemente lucrativa turnê de seis semanas do Príncipe Charles e da Princesa Diana pela Austrália e Nova Zelândia. Na época, a jornada do casal real foi vista como um sucesso estrondoso. As nações foram paralisadas pela princesa Diana, o príncipe Charles e seu filho pequeno, o príncipe William. Diana era tão difundida que o folk virou uma banana ao estilo da Beatlemania para ela. Embora as semanas de discursos diplomáticos, visitas a faculdades e noites glamourosas na cidade pudessem fazer de Diana uma sensação mundial, todos nós sabemos agora que foi um ponto sensível no casamento. Incompatível desde o início, a turnê australiana de 1983 aprofundou o ciúme de Charles pelo reconhecimento de Diana e exacerbou os pontos de bem-estar psicológico pessoal de Diana.

(* 4 *)

Foto: Netflix / Courtesy Everett Collection

A coroa A 4ª temporada dramatizou essa jornada no episódio 6 Terra Nullius. Nesse episódio, vemos atrito do casal desde o início. Diana está consideravelmente estranha em sua chegada preliminar à Austrália, no entanto, ela rapidamente encontra energia para se referir a pessoas com anedotas fofas e interações honestas de pessoa para pessoa. Charles é visto como consideravelmente perturbado pela posição de ícone de sua esposa mais jovem. Afinal, ele deveria ser o Rei a longo prazo. Além disso, A coroa descreve Charles como sendo simplesmente tão carente de amor e afeto quanto sua noiva.

Charles e Diana: 1983 confirma A coroa Modelo de ocasiões com a ajuda de especialistas reais de longa data Ingrid Seward e Paul Burrell. No entanto, quando Seward e Burrell não deveriam falar em nome de Diana, obtemos uma variedade fascinante de imagens de informações atualizadas. Há um desvio que a realeza faz para ir ao cenário de uma lareira horrível, partidas de pólo que deram errado e uma recepção calorosa dos Maori. O ciúme de Charles não está fervendo, mas em fogo brando. Ele faz piadas para amenizar o estresse e às vezes parece estar em sintonia com Diana (principalmente porque a viagem continua). Isso é, de fato, uma coisa A coroa além disso, afirma, mas com certeza é emocionante ver o Charles real ter um humor seco sobre tudo isso em tempo real.

mulher maravilha em 1984 no amazon prime

O novo documentário de Hulu também cai em uma encruzilhada irônica para o legado da princesa Diana. Sim, o modelo fictício dos primeiros anos de Charles e Diana foi simplesmente festejado no Globo de Ouro (com vitórias para cada Josh O'Connor e Emma Corrin por suas representações da realeza). O mais intrigante é que na semana passada o Príncipe Harry revelou que não tem lado negativo com o ficcional coroa . Ele até compartilhou com James Corden que a coleção captura precisamente a tensão entre a obrigação pública e os desejos privados. Com o que ele tem uma desvantagem? Pessoas que acreditam nas falsas variações de ocasiões dos jornais.

Foto: CBS

Charles e Diana: 1983 chega ao Hulu em um segundo distinto depois de estarmos repensando a história da princesa Diana. Não é que não tenhamos aceitado longamente que a turbulência interna da jovem foi infectada pelos apelos do público em geral para ser da realeza. Nós reconhecemos o motivo daquela noite em que ela morreu que ela foi realmente morta em um acidente provocado por paparazzi perigosamente correndo. Talvez o que estejamos reconsiderando seja o próprio estabelecimento real. Mais importante ainda, existe uma maneira de a casa real britânica interromper seu próprio ciclo de autodestruição.

Em prévias desta semana Oprah com Meghan e Harry , ouvimos o príncipe realmente dizendo que sua maior preocupação era o passado histórico se repetindo. Charles e Diana: 1983 nos fornece um resumo desse passado histórico. Percebemos as pressões externas que os afligem aos olhos do público, mas como isso piora as batalhas de bem-estar psicológico interno enfrentadas pela realeza?

Charles e Diana: 1983 não iria responder a essas perguntas maiores, no entanto, significa que esses dilemas estiveram nos pensamentos de Diana meses antes de sua morte. Em um clipe de 1997, ela abre um discurso dizendo, Senhoras e senhores, eu tenho autoridade para afirmar que a busca pela perfeição, conforme a sociedade exige, pode ir embora a pessoa ofegante a cada lance. Agora, como seu filho pessoal - um defensor do bem-estar psicológico - é por causa da abertura sobre essas pressões, temos que surpreender se nossa tradição percebeu o suficiente para cessar a repetição do passado histórico.

Fonte: https://decider.com/2021/03/01/charles-diana-1983-doc-hulu-the-crown-season-4/